segunda-feira, 9 de junho de 2008

LIDANDO COM AS COBRANÇAS E INCOMPREENSÕES

Nas atividades seculares do dia-a-dia, somos cobrados a todo instante: contas a pagar, procedimentos a cumprir, aparência agradável a exibir, a qualidade de nosso trabalho, as tarefas que deixamos de fazer, a nossa sinceridade. Também na igreja somos muito cobrados a cada momento: nossa contribuição financeira, participação nas programações, visitas, compromisso... Por outro lado, tanto numa esfera como noutra, exigimos muito dos outros: o semblante amigável, o que eles nos devem, o que deveriam estar fazendo. Dessa forma, a beleza do evangelho fica embaçada pelas preocupações, dores e ansiedades e cobranças. É como fazer uma viagem em um ônibus em mal estado de conservação, quebrando aqui, quebrando acolá, não desfrutamos a viagem pelas preocupações que o veículo nos proporciona.
Até nossos lares, que deveriam ser lugar de descanso e prazer, se transformam em pontos de conflitos e tristeza. A Igreja, recinto de amor, paz e serviço, se torna local de desamor e angústia. É legítimo chamar a atenção, exigir, cobrar, mas o pastor, os presbíteros, os diáconos e os membros não podem estar amiúde só fazendo isso, pois, assim, só vamos desgastar os relacionamentos e promover uma imagem negativa de uns aos outros.
Como resolver esse problema? Devemos chegar mais perto de Jesus e perceber de que modo Ele levou nossas dores e tratou as pessoas a sua volta. Notar como ele está presente nos nossos corações. Devemos seguir o exemplo de Maria que se concentrava apenas em escutar Jesus, enquanto Marta trabalhava sem parar e ainda achava tempo para cobrar (Lc.10:38-42 ). Atentemos para o que o profeta disse acerca do Senhor:"Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado
por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados." (Is 53:4-6)
1. Ele tomou sobre si nossas enfermidades e dores. Vivemos muitas vezes como alguém que precisa consertar o mundo. Esquecemos que em Cristo estamos salvos, antes mesmo de existirmos, ele já havia morrido para que pudéssemos ter vida. Nossas dívidas estão pagas. Deus quer somente o nosso sincero arrependimento.
2. Ele tomou o castigo que nos trouxe paz . Sem Cristo estaríamos sem direção, na prostituição, na bebida, o pior de tudo na escravidão (Rm 6:17
Cristo nos capacita para fazermos o impossível; com Cristo podemos amar, dominar nosso espírito, suportar os problemas, esperar nas dificuldades.
Ele nos traz a paz: o direito de estar ao lado de Deus, abraçá-lO, sentir Sua presença e louvar o Seu nome.
3- Cerca-nos de bênçãos. Vida preservada em um mundo em que somos como a neblina (Tg 4:14). Temos o sustento material; o que temos é muito mais do que pensamos. Bênçãos como família, filhos, irmãos, saúde, visão, audição, respiração. Condição de contribuir para a obra de Deus com o nosso dízimo, visitando enfermos, apoiando uns aos outros, escrevendo cartas, entregando folhetos, orando.
Receba o que o Senhor tem para lhe oferecer, viva na companhia de Jesus.
Rev. Liberato

0 comentários: