sexta-feira, 6 de novembro de 2009

OS RUDIMENTOS DA FAMILIA CRISTÃ

A família, em nossa geração, está ameaçada por uma cultura antiDeus, precisamos com urgência resgatar alguns rudimentos que tem sido distorcidos pelas filosofias e pensamentos do presente século.

Respeito mútuo – Uma boa convivência na família precisa do respeito entre seus membros. O respeito deve existir tanto entre cônjuges, quanto pais e filhos e destes para seus pais e irmãos. Todos querem ser felizes e alcançar sucesso na vida, mas isso começa com uma boa base no lar, assegurada pela valorização que cada um faz do seu parente.

Solidariedade – Precisamos interessar-nos por nossos entes queridos; investir neles o que pudermos; esforçar-nos para torná-los vencedores; cooperar para resolver seus problemas; apoiá-los em suas necessidades; encorajá-los e estimulá-los em seus desencantos; sustentá-los com as nossas orações e “chegar junto” quando estiverem em escassez, seja em que área for de sua vida.

Obediência à liderança – Esse é um principio muito desgastado nas famílias deste tempo. A obediência a qualquer tipo de liderança começa no lar. “Vós mulheres sede sujeitas a vossos maridos….vós filhos sede obedientes a vossos pais” Efésios 6:1-9. Pais que não se dão ao respeito, que não exercem a autoridade com amor, não disciplinam seus filhos com compaixão, tornam-se verdadeiras marionetes nas mãos de abusadas crianças sem limites, estão pondo a perder o futuro de seus filhos. É melhor usar a vara em casa do que deixar os filhos apanharem da vida. Em casa a disciplina será com amor. Na vida a correção sobrevirá cruelmente, em forma de vingança, implacável e sem apelação. A criança que não respeita os pais em casa, não obedece aos professores na escola, não aceita sobre si nenhuma autoridade, seja religiosa, ou política, poderá inevitavelmente colher maus frutos de seu comportamento.

Amor sincero – Não pode faltar o amor na família. Amor ágape, incondicional. Amor doador, de entrega, que se espelha no próprio Cristo, que vê no outro o alvo de suas atenções. Aquele amor que nada espera em troca, amor altruísta, cheio de renúncias e interesses solidários. Amor sem desconfiança, sem competitividade, não ambicioso. Somente o amor é capaz de fazer do lar um espaço de vitória, de prazer. Pais e filhos, irmãos que se amam cooperam para a sustentação da família. Num mundo tão destrutivo e estéril em que vivemos, nada melhor do que um lar assim estabelecido.

Espiritualidade – Também para a família, este rudimento tem muito valor. Veja a orientação de Jesus “Mas buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e as demais coisas vos serão acrescentadas”. Mat. 6:33. Este verso mostra que, quando as questões espirituais vão bem, Deus cuida do resto. Se a casa não for provedora de espiritualidade, o mundo não pode oferecê-la aos nossos filhos. É responsabilidade dos pais a orientação espiritual de seus filhos - oração, estudo bíblico, devoção, culto doméstico e valorização da Igreja como instituição divina.

Minha oração é para que nossas famílias resgatem estes princípios, a fim de que tenhamos lares bem estruturados, sendo luz e sal para este mundo que jaz nas trevas.

Deus abençoe você e sua casa.

0 comentários: